NOTÍCIAS

Medal rumo aos 40 de história
17 set 2018

 

Dia 01 de outubro de 1979. No porão de uma casa, no então município de Joaçaba, nascia a Medal Bombas Hidráulicas, que hoje emprega 180 colaboradores e é referência nacional na linha hidráulica. Fundada pelos irmãos Altair, Ademir e Itacir Dalla Lana (in memmorian), surgiu da vontade de ter um negócio próprio.

Da união de seis sócios, irmãos e primos, com experiência na área metal mecânica, os dois irmãos começaram fazendo pequenos consertos. “Trabalhávamos de empregados e à noite e nos fins de semana fazíamos os consertos na nossa pequena oficina. Depois compramos a parte dos sócios e nos encorajamos a sair dos nossos empregos e trabalhar somente no nosso negócio”, conta Altair, com 70 anos, diretor industrial da Medal.

No começo eram fabricados cilindros de massas e eixos para recalcadores, e também se consertava qualquer equipamento que precisasse de reparo. “Depois de fazer uma mala direta para alguns conhecidos, a gente não vencia mais atender a demanda. Mas no começo a situação era precária, não tínhamos máquinas. Começamos com uma furadeira de bancada, um esmeril e uma caixa de ferramentas. E quando não a gente não tinha mais condições de administrar as vendas e cobrança, o nosso irmão Ademir que era sócio, mas trabalhava num banco, veio nos ajudar”, relembra, Altair.

Com o aumento da procura, em alguns anos um novo terreno foi adquirido e desde então a fábrica prospera. “Com contato do pessoal de fora, eles nos mandavam as bombas para tirar modelo e a gente fazia. E assim a produção foi aumentando, aumentando. Não tínhamos engenharia, era tudo na prática, com o nosso conhecimento. A gente começava na oficina às sete da manhã e ia até às dez da noite. Não era fácil, mas se fosse, todo mundo faria”.

Orgulho e perseverança

Atualmente, a Medal forma um grupo composto por quatro empresas: Medal Bombas Hidráulicas, Medal Fundição, Forty Peças e Medal Agropecuária. “Eu tenho muito orgulho da Medal, por isso, sempre que posso, uso a camisa da empresa nos lugares em que vou. E depois que os nossos filhos começaram a estudar, isso cresceu mais e mais. Na verdade, nossos filhos cresceram dentro da oficina e da fábrica. E valeu a pena”. A participação da família também foi decisiva para chegar ao sucesso. “As nossas esposas não ficavam na fábrica, mas trabalhavam fora e nos davam o amparo familiar de cuidar dos filhos e da casa”.

 Sobre fundar uma empresa que é uma das maiores da região e ser referência nacional no segmento, Altair se emociona. “É gratificante, quando começamos não imaginávamos que ia ser uma empresa desse porte. A Medal também é uma responsabilidade muito grande, várias famílias dependem do sucesso da Medal. Quando eu vejo a Medal do tamanho que está penso que tenho que agradecer muito a Deus, a toda família e a colaboração das pessoas que trabalham com a gente, porque sozinho não se faz nada”, finaliza Altair.